Dia do/a Assistente Social é comemorado com palestra sobre os desafios da classe trabalhadora e a atual conjuntura do país

por: Vanessa Scaquete Cáceres
17 Maio 2017

Dia do/a Assistente Social é comemorado com palestra sobre os desafios da classe trabalhadora e a atual conjuntura do país Profissionais e estudantes de Serviço Social participaram do evento

“Na luta de classes não há empate”. Esse foi o tema da palestra e da campanha do Conjunto CFESS/CRESS este ano em comemoração ao Dia do/a Assistente Social, que ilustra a intensificação da violência e criminalização das lutas sociais, que têm sofrido cada vez mais com a repressão de um Estado que está a serviço do grande capital.

O encontro foi realizado na Uniderp e contou com a presença de profissionais e estudantes de Serviço Social. De início, para animar o evento, jovens do projeto social Curumim Pé de Ouro mostraram a força do batuque e colocaram todos/as para dançar. Em seguida, foi a vez de representantes do movimento estudantil e da coordenadora do curso de Serviço Social da Uniderp falarem.

Durante o encontro, também foi apresentada a diretoria provisória do CRESS/MS, que tomará posse hoje (17), para que se inicie um novo processo eleitoral, já que o anterior não houve inscrição de chapa. A eleição da diretoria do triênio 2017-2020 está prevista para novembro.

Para fechar o evento com chave de ouro, o professor doutor Alfredo Batista, da Unioeste/PR ministrou a palestra “Na luta de classes não há empate”. Para ele a importância de discutir o tema é colocar aos trabalhadores, no campo da teoria e da programática, qual o seu lugar na história. “Quando o tema diz: Na luta de classes não há empate, é porque a classe trabalhadora tem um lugar, e esse lugar, no modo de produção capitalista, é aquele que produz toda a riqueza, mas não se apropria dela, não cria humanidade, porque ele cria o seu opositor. Ele cria e fortalece aquele que vai oprimi-lo e destruir a sua sociabilidade, na construção de um projeto emancipatório, que só é possível pela classe trabalhadora em todos os seus diferentes níveis. Há a possibilidade de nós construirmos uma sociedade comunitária, onde o centro é humano e não a mercadoria, essa é a grande sacada do tema do CFESS”.

 

Professor Doutor Alfredo Batista ministrando a palestra "Na luta de classes não há empate". Ao lado, a mediadora Lana Amaral (foto: Vanessa Scaquete/CRESS-MS)

 

Alfredo ainda ressalta que na formação acadêmica é necessário voltar para os referenciais teóricos que tratam das relações sociais históricas de uma forma crítica, mostrando o movimento real. “Temos que construir um arcabouço teórico na sociologia, na história, na filosofia, na antropologia, na ética, que permita na minha formação eu ter condições de entender onde eu estou enquanto profissional e como eu estou enquanto trabalhador. E aí sim, tomar os meus parâmetros não só te entendimento, mas de engajamento da sociedade. Então esse é o nosso grande papel”. 

 

Veja aqui mais fotos do evento. 

 

 
Assessoria de Comunicação- CRESS/MS
Vanessa Scaquete- Jornalista
DRT 1179/MS